Quem mais estraga Star Wars são os fãs briguentos

Quando eu comecei a gostar de Star Wars anos atrás, a única “briga” que existia era Star Wars vs Star Trek (e nem era briga de fato, era uma época antes dessas brigas escrotas tipo DC vs Marvel). Hoje estou vendo os fãs da mesma saga brigando, se ofendendo, chamando quem gostou ou não gostou de burro.

Pra mim nada mais resume Star Wars nesse filme do que a última cena, do menino.Ele é um fã como a gente, e a gente carrega a força de Star Wars, que sonha com aquilo desde pequeno, que faz vassouras de sabre, que sonhava em ser Jedi. Muito mais que Luke Skywalker, muito mais que tradições ou textos antigos. Porque Star Wars não chegou até aqui pelos roteiros impecáveis, não chegou até aqui por ser uma grande obra da ficção, os filmes estão longe de serem obras primas cinematográficas. Mas Star Wars é o maior universo fictício porque mexe tanto com a nossa criança interior. A Força não está na família Skywalker, está na gente, e o menino com a Força representa isso.Então por mais que eu ame os personagens (cara, eu queria conhecer o Obi Wan pessoalmente), por mais que dói ver eles morrendo, ver eles humanos falhos, terem momentos de covardia, enquanto a mensagem de Star Wars, o mesmo espírito de esperança for mantido, eu vou continuar amando. E ver o Luke fraco, amargo, não estragou a mensagem de Star Wars, apenas trouxe a Força mais perto da nossa realidade, como humanos falhos do mundo real. O Luke nunca esteve tão perto da gente. Isso não é estragar a saga, pelo contrário, fortalece ela.

Mas nós fãs, de diversas gerações, que vimos os filmes milhões de vezes, lemos os livros, quadrinhos, jogamos os jogos, teorizamos, carregamos a Força, trouxemos a saga até aqui. Se nós entrarmos em brigas, nos dividirmos, isso sim vai matar Star Wars.

Eu particularmente adorei o filme. Respeito quem não gostou, não concordo com muitos argumentos, entro em discussões, mas entendo que tem gente que não gostou. Mas eu amei. Não vou entrar em detalhes aqui, não é o foco do meu texto, mas gostei de terem descontruido o mito do Luke. Não liguei pro humor excessivo, porque os episódios 4, 5 e 6 tinham muito mais humor bobo. E atores fracos, roteiros cheios de furos e problemas de produção estão muito presente em todos os 9 filmes, então também não me incomodou. É Star Wars, não 2001 Uma Odisseia no Espaço.

Mas eu AMO Star Wars. Vou continuar vendo e acreditando nos filmes, continuarei lendo os materiais canônicos e Legends, e passarei esse amor pros meus filhos, pra manter a Força viva. Pra mim esse episódio VIII foi real pra saga sim, porque a vida real tem momentos pesados e que não queríamos que acontecessem, mas acontecem, são reais e nos fortalecem.

Que a Força esteja com vocês.

Gostou do texto? Ouça nosso podcast sobre Star Wars: The Last Jedi. Clique aqui!


Para críticas, sugestões e/ou elogios, acesse nosso formulário de contato ou mande-nos um email: talktodavecast@gmail.com

Entre no nosso Grupo do Telegram!

Curta nossa página do Facebook!

Siga-nos no Twitter!

E no Instagram também!

Criador e Hoster do DaveCAST, estudante no SENAI, cristão reformado, crítico de trailers, odiador de burocratas e mestre de Role-Playing Jogo nas horas vagas.

Deixe um comentário!